CAU lota auditório da ACIC

IMG_0570

Mais de 200 pessoas participaram da palestra de abertura do segundo Congresso do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CAU/SC), na noite da quinta-feira, dia 13 de maio. Realizado no auditório da ACIC em Criciúma, o primeiro dia foi marcado pela palestra do arquiteto e urbanista Dietmar Starke, que possui uma trajetória profissional de feitos notáveis. Conhecido como o “arquiteto mais maluco do Brasil”, Dietmar falou sobre seus trabalhos e o futuro das cidades.

O arquiteto e urbanista contou histórias de quando morava na Alemanha e viu o muro de Berlim ser derrubado e, ainda, como foi produzido o primeiro “plano diretor” que unificava os dois lados de Berlim, projeto em que, inclusive, ele participou da produção. Dietmar também descreveu o início do Centro de Mulheres Islâmico, do Egito, um dos projetos premiados de sua carreira.

“O meu trabalho até hoje foi fazer a distribuição de conhecimentos para grupos que não têm condições. Eu sempre fui bom em desenho, nunca abandonei o social, eu sempre faço as melhores arquiteturas”, destacou Dietmar Starke.

Segundo o arquiteto e urbanista o Brasil não tem mais nada a perder, mas, sim, a ganhar. “Santa Catarina é o lugar de se fazer alguma coisa porque nós temos condições, riquezas, pessoas com conhecimentos e cultura. Já o Rio de Janeiro tem um milhão de problemas e aqui nós temos condições de fazer alguma coisa legal, criar uma escola de modelo futuro. Todo mundo está aficionado nos eletrônicos, isso não pode, nós temos que avançar, as crianças têm que ter vontade de não sair da escola. Temos que construir modelos que funcionem”, acrescentou.

ATIVIDADES

Nesta sexta-feira, as atividades foram retomadas às 8h30, no auditório da Unesc, devendo seguir até a noite, com palestras e oficinas. Prevista para ocorrer nesta tarde, está a palestra do arquiteto e urbanista Miguel Canãs Martins, que irá apresentar seus projetos. Miguel desenvolve um trabalho elaborado através de um ponto-chave muitas vezes esquecido: as pessoas.

O Congresso terá outra palestra do Dietmar Starke, desta vez no eixo cidade. De volta ao palco do evento, o catarinense de 56 anos, que assina projetos arquitetônicos e urbanísticos premiados pelo mundo com caráter ambiental e ecológico muito presente, promete mais uma vez entreter o público com suas experiências.

 

DESTAQUES

Além de estudantes, professores e coordenadores do curso de arquitetura, estiveram presentes no evento autoridades da região, entre eles, o prefeito Márcio Burigo. Na oportunidade, ele parabenizou o CAU pela iniciativa. “É bom lembrarmos qual a cidade que nós queremos deixar para os nossos filhos e netos. Eu tenho certeza de que não é a Criciúma de hoje. E isso só se faz com grandes profissionais”, ressaltou.

Arquiteto fala sobre o futuro da profissão

Por quase cinco horas, o arquiteto e urbanista Miguel Cañas Martins, sócio da Metroquadrado e do Atlas, falou para estudantes e profissionais. Entre palestra e oficina, foram feitas explanações sobre o futuro da profissão do arquiteto e das cidades. Por meio de um discurso simples e objetivo, o arquiteto apresentou alguns projetos com uma abordagem interdisciplinar dos processos criativos envolvendo arquitetura, design e experiências imersivas. Entre trabalhos apresentados, estão projetos corporativos, residenciais, interiores e desenho de experiências.

“É importante que acrescentemos novos ingredientes no processo criativo, incluindo as pessoas no desenvolvimento de trabalhos com mais entrega e profundidade conceitual”, destacou Miguel Cañas Martins. Na oportunidade, o arquiteto premiado pela ASBEA falou também sobre a relevância de ser criar ferramentas mais experimentais de trabalho, para se atingir com maior autenticidade os projetos. “Oportunidades como essa de troca é que fazem a gente refletir, sair da inércia e dar mais um passo para ressignificação da profissão”, finalizou o arquiteto e urbanista.

Dinâmica

Após a palestra, o público participou de uma oficina com ferramentas de Desing Thinking para levar a reflexões sobre o futuro do papel do arquiteto.IMG_0665-1-300x225

Arquiteto incentiva o aumento da qualidade média de profissionais

O arquiteto e urbanista, Mario Figueroa palestrou no eixo escola por pouco mais de uma hora para profissionais e estudantes de arquitetura e urbanismo, durante a tarde de sexta-feira, dia 13 de maio, no Congresso Itinerante do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina (CAU/SC), em Criciúma. Entre os assuntos abordados está o paradoxo de se morar em um país que gera uma quantidade grande de gênios em todas as áreas de conhecimento e, ao mesmo tempo, a existência de 14 milhões de brasileiros analfabetos. Uma realidade que, segundo o palestrante, implica diretamente no tema ensino, porque diz respeito ao nível educacional que os jovens chegam às universidades.

Outra questão destacada durante o encontro foi a relação per capita população/arquiteto, que no Brasil, é de um arquiteto para cada 2.500 pessoas, dado que, de acordo com ele, é muito próximo da relação que acontece na França, que é de 2.200 habitantes por arquiteto. A grande diferença é que a maioria dos franceses sabe quais são as atribuições de um arquiteto e urbanista, o que Mário afirma que não é a nossa realidade.

Diante disso, ele propôs a necessidade de a discussão do ensino também envolver a educação do cliente, seja ele o Estado ou a iniciativa privada. “O grande esforço reside em aumentar a qualidade média de profissionais que formamos, pois essa é a grande diferença que temos com os países vizinhos da América Latina”, destacou Mario.IMG_0680-1-225x300